A Fórmula do Pulp Fiction - Lester Dent

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

A Fórmula do Pulp Fiction - Lester Dent

Mensagem por Leishmaniose em Seg Set 12, 2011 2:30 am

Olá,

Aqui no fórum nós temos uma seção de Fanfics para aqueles que desejam desbravar a área da escrita literária. Mas nem todos sabem bem como começar e ficam inseguros no que fazer. Apesar do estilo Pulp Fiction ser um pouco "underground" na área, ainda assim não deixa de ser válido, nem as dicas dadas por ele.

Eu mesmo, em algumas das quests e até nos posts dos meus personagens, uso aqui e ali algumas das dicas que há nesse texto para incrementar um pouco mais a situação, procurando sempre melhorar meu estilo de escrita. Smile Espero que possa ser tão útil a vocês quanto foi para mim.

Esse texto foi postado inicialmente pelo meu amigo Marlon "Armageddon" Teske e pode ser encontrado, com vários outros em http://marlonteske.multiply.com . Aproveitem e visitem também o nosso grupo de criação de cenários de fantasia: http://www.inominattus.com .

Bonanças.

Atenciosamente,
Leishmaniose
==============================

A Fórmula do Pulp Fiction
Por Lester Dent
Tradução por Alexander Lancaster


Cortesia de Lester Dent, criador de Doc Savage. Tudo o que se precisa para escrever contos enxutos, comerciais e acessíveis de acordo com um dos mais prolíficos autores do seu tempo. Funciona, claro, com ficção científica também.

Há uma fórmula, um plot-mestre, em cada história Pulp de 6000 palavras. Isso funciona em gêneros como aventura, detetive, western e aviação de guerra. Ela diz exatamente onde colocar cada coisa. Mostra definitivamente o que tem que acontecer em cada sucessivo grupo de mil palavras.

Nenhum material meu escrito sob esta fórmula falhou em ser vendido.

A construção de histórias não é diferente da construção de qualquer outra coisa.

Começamos com:

1. Um método diferente de assassinato para o vilão usar;

2. Alguma coisa diferente para o vilão buscar;

3. Um local diferente;

4. Uma ameaça que paira como uma núvem sobre a cabeça do herói.


Uma coisa diferente é boa, duas são melhores ainda, mas três são exagero. É útil ter plena idéia do que elas se tratam antes de escrever o resto.

Um método diferente de assassinato deveria ser... diferente. Pensar em tiros, esfaqueamento, veneno, garrote, escorpiões, outros, e escrever tudo isso no papel talvez possa sugerir alguma coisa. Escorpiões e suas mordidas venenosas? Talvez mosquitos ou moscas tratados com germes mortais?

Se as vítimas forem mortas por métodos comuns, mas forem encontradas em circunstâncias estranhas ou idênticas a cada tempo, isso serve - desde que o leitor não saiba, até o fim da história, que o método de assassinato é comum. Escritos cujas vítimas sejam encontradas com borboletas, aranhas ou morcegos estampados neles poderiam conceitualmente estar brincando com essa idéia.

Provavelmente não é recomendável ser estranho, ridículo ou grotesco demais com seus métodos de assassinato.

A "coisa diferente" para o vilão pode ser algo maior do que jóias, dinheiro de um banco, pérolas, ou outras velhas soluções do tipo.

Aqui, novamente corremos o risco nos tornar bizarros demais.

Local único? Fácil. Selecionando um lugar que se encaixe no método de assassinato ou no tesouro - aquilo que o vilão quer - apresente-o de forma simples, e também simpática e familiar, como se fosse um lugar onde você viveu e trabalhou. Muitos autores de pulp não fazem isso, e pode ser útil conhecer tanto sobre o lugar quanto o editor, ou saber o suficiente para enganá-lo, para poupar seu trabalho de constrangimentos.

Aqui temos um truque para emprestar uma falsa "cor local" ao material. Numa história passada no Egito, por exemplo, o autor pode encontrar um livro entitulado "Conversação em Egípcio para iniciantes" ou algo parecido. Você quer que o personagem fale em egípcio "O que importa?" Ele olha o livro e encontra "El khabar, eyh?". Para não deixar o leitor às escuras, é sábio esclarecer o significado disso de alguma forma. Ocasionalmente o texto o fará, ou alguém poderá repetir isso na língua do leitor. Mas é um passo duvidoso interromper o fluxo do texto apenas para traduzir essa frase a quem lê.

O escritor aprende que há palmeiras no Egito. Ele olha para o livro, encontra o termo egípcio para palmeiras, e o usa. O importante é fazer editores e leitores acreditarem que ele sabe algo sobre o Egito.

Aqui temos a segunda parte do plot principal.

Divida suas 6000 palavras em quatro partes de 1500 palavras. Em cada parte de 1500, ponha o seguinte:

As primeiras 1500 palavras

1. Na primeira linha, ou tão próximo dela quanto possível, introduza o herói e já o apresente em meio a problemas. Ele tem um mistério, ameaça ou problema a ser solucionado - algo que o herói tenha que lidar.

2. O herói lida com seu problema (ele tenta desvendar o mistério, defender a ameaça, ou resolver o problema)

3. Introduza todos os outros personagens o mais cedo possível. Traga-os para a ação.

4. Os esforços do herói o levam para um conflito físico verdadeiro no final das primeiras 1500 palavras.

5. Próximo do fim das primeiras 1500 palavras, há uma virada completa no desenvolvimento do plot.

Importante: Tivemos suspense aqui? Há uma ameaça ao herói? Tudo acontece de forma lógica?

Neste ponto, seria útil lembrar que a ação deveria ter a função de avançar o herói através do cenário. Suponha que o herói tenha descoberto que os vilões aprisionaram alguém chamado Eloise, que pode explicar o segredo por trás de eventos sinistros. O herói enfrenta os vilões, eles lutam, e os vilões fogem. Nada tão impressionante dessa vez.

O herói deveria mover seus esforços para resgatar Eloise, e surpresa! Eloise é um macaco com o rabo pintado de anéis. O Herói conta os anéis do rabo do macaco, se não vier nada melhor a mente do autor. Eles não são reais. Os anéis foram literalmente pintados. Por quê?

Segundo Bloco de 1500 palavras

1. Jogue mais situações angustiantes contra o herói.
2. O herói, sendo heróico, luta, e sua luta leva a:
3. Outro conflito físico.
4. Uma supreendente virada de plot para encerrar as 1500 palavras.

Agora: A segunda parte tem suspense? A ameaça cresce como uma nuvem negra? Está o herói enterrado na situação até o pescoço? A segunda parte é lógica?

Não fale nada sobre isso! Mostre como tudo aparenta ser, não como é. Este é um dos segredos da escrita: jamais conte nada ao leitor - mostre a ele. ("Ele treme", "revira os olhos", "range os dentes", etc.) Faça o leitor ver o que acontece!

Ao escrever, ajuda ter ao menos uma surpresa menor na página impressa. É razoável se esperar estas surpresas para manter a atenção do leitor sempre acesa. Não são necessários esforços profundos. Um método para se conseguir um efeito desse tipo é gentilmente levar o leitor à conclusões falsas. O Herói está examinando a sala do crime. A porta atrás dele começa lentamente a se abrir. Ele não a vê. Ele conduz seu exame minucioso com toda a confiança. A porta se abre, e então, surpresa! A placa de vidro cai da janela através do quarto. Ela tem que ter caído vagarosamente, e a lufada de ar dentro do quarto provocou a abertura da porta. Então o que diabos fez a placa cair tão lentamente? Mais mistério.

Caracterizar um personagem consiste em dar algumas coisas que o façam ecoar na cabeça do leitor: Dê a ele frases marcantes!

Construa seus roteiros de forma que a ação seja contínua.

Terceiro Bloco de 1500 palavras


1. Jogue uma situação angustiante contra o herói.
2. O herói faz algum avanço, e encurrala o vilão ou alguém em:
3. Um conflito físico.
4. Uma surpreendente virada dos fatos, na qual o herói preferencialmente entra em encrenca, para fechar este bloco de 1500 palavras.

Faça: O suspense permanece? A ameaça se torna mais negra? O herói se encontra no inferno ou no rumo para a solução? Tudo acontece logicamente?

Estas linhas gerais de fórmulas-chave são somente para fazer você ter certeza da inserção de algum confronto físico, e de algumas verdadeiras viradas na história, com um pouco de suspense - e a ameaça envolvida nesse contexto. Sem isso, não há história pulp.

Estes conflitos fisicos em cada parte deveriam ser diferentes, também. Se um herói luta com os punhos, ele só deveria dar conta da situação com o pugilismo até surgir o próximo oponente. O mesmo vale para gases venenosos e espadas. Naturalmente, há exceções. Um herói com um soco especial, ou um saque rápido, deveria usá-lo mais do que uma vez.

A idéia é evitar a monotonia.

Ação: Vívida, rápida, sem desperdício de palavras. Crie suspense, faça o leitor ver e sentir a ação.

Atmosfera: Ouça, cheire, veja, sinta e deguste.

Descrição: Árvores, Ventos, Cenários e Águas correntes.

O segredo de todas escrita é fazer cada palavra contar.

Último Bloco de 1500 palavras

1. Aumente os graus de dificuldade mais e mais e mais contra o herói.

2. Deixe o herói quase que sufocado e enterrado por seus problemas. (Figurativamente, o vilão o aprisionou ou o incriminou por um assassinato; a garota está presumivelmente morta, tudo está perdido, e o método diferente de se matar está sendo usado contra o pobre e sofredor protagonista.)

3. O herói escapa com o uso de suas próprias habilidades, treinamento ou força.

4. O maior dos mistérios da história permanece - e ele tem que ser segurado até este ponto. Isto irá ajudar a segurar o interesse - até ser esclarecido, é claro, até o momento do último conflito, quando o herói toma a situação em mãos.

5. Última virada, uma grande surpresa, (Pode ser o vilão se revelando como uma pessoa inesperada, o tesouro ser algo que não se imaginava, etc.)

6. O arremate, uma linha final "esperta" para encerrar tudo.

Enfim: O suspense se sustentou até a última linha? A ameaça foi possível de se lidar no final? Tudo foi explicado? Tudo aconteceu logicamente? A última linha foi suficiente para deixar o leitor com um gosto agradável no final? Deus matou o vilão? Ou foi o herói?

[Remoção das irritantes letras em caixa alta por Armageddon Wink ]



_________________
"Se o Destino for mesmo um Moinho...
Nós somos os grãos esmagados em seu mover."



"Se não posso proteger apenas estendendo a minha mão, desejo uma espada...
Um poder capaz de despedaçar o Destino deve ser como a lâmina de uma espada."


"Você encontra a Aventura
Ou a Aventura encontra Você".
avatar
Leishmaniose
Cachorro Quente
Cachorro Quente

Sagitário Cachorro
Mensagens : 1511
Data de inscrição : 29/09/2010
Idade : 34

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum